De olho no filme: Billy Elliot


Imagem do filme Billy Elliot, lançado em 2000 pelo diretor Stephen Daudryn



Produções da 8ª 01




Billy, o bailarino principal
Autores: Giovana Stinghen, Lucas de Medeiros e Wellington de Lima

O pai de Billy deixou a greve para dar mais atenção à família dele e para bancar a viagem de Billy até a escola de ballet. O pai de Billy passou a ser mais feliz depois que ele deixou o preconceito de lado e aceitou a escolha de seu filho, passou até a ter orgulho dele quando o viu em cima daquele palco no dia da apresentação em que Billy se tornou o bailarino principal.

Realizando um sonho
Autores: Joicy Tomaz, Amanda França e John Batista

O pai de Billy era uma pessoa preconceituosa e tinha medo de que o filho virasse homossexual e o fato de o  filho dançar ballet também frustrava o sonho do pai de ter um filho boxeador. Por outro lado, o pai foi muito agressivo com o filho, ele estava mais preocupado com o que os outros falariam do que com o sonho do filho.

Billy só tinha olhos para o ballet
Autores: Amanda Dias , Michele Bento, Rafael Dias

Billy Elliot: enquanto Billy treinava boxe, não conseguia tirar os olhos da aula de ballet e, aos poucos, foi percebendo que o ballet mexia com ele.  Sua persistência o ajudou a se tornar um bo bailarino.

Sra. Wilkinson: Ela foi muito importante na vida e na carreira de Billy. Ela percebeu que o menino tinha muito talento para o ballet, foi igual uma mãe para ele, o apoiou e o ajudou com os passos difíceis para ele e com os problemas familiares de Billy. Mostrou que ele era capaz.

Pai de Billy: o pai Billy gostava de boxe e era muito machista, e não queria que o filho fizesse aulas de ballet, mas depois começou a perceber que seu filho tinha dom para dança e aceitou.

A melhor decisão
Autores: Suelen Silvestre, Daniel Freire e Diovana Martins

Billy foi corajoso ao mostrar ao pai o que ele realmente queria fazer e o que ele sabia fazer. Ele fez o que a consciência e o que o coração mandou e talvez se ele não tivesse tomado aquela decisão ele não teria mostrado o grande talento dele que era dançar ballet.  Portanto, ele tomou a decisão exata correndo atrás do que ele realmente gostava e realizado o sonho de ser bailarino. Nós temos mesmo que ir atrás do que queremos.

Enfrentando o preconceito
Autores: Sara Rosa, Luiz Santos, Allan de Oliveira e Adriel Porcina

O filme nos mostra que não devemos ter preconceito porque todos nós adolescentes e adultos somos iguais, independente da nossa opção sexual. Não devemos ter preconceito com ninguém, não importa o que a pessoa gosta de fazer, nem o que esta pessoa pretenda exercer quando crescer. Devemos tentar ganhar a confiança de nossos pais para que acreditem nos nossos objetivos. Não podemos interferir no sonho dos outros.

Conflitos em família
Autores: Quézia Maia, Samara Inácio e Vitória Moreira

A família de Billy tinha preconceito pelo fato de o garoto ter escolhido a carreira de bailarino, assim causando discussões entre eles.  A morte da mãe de Billy causou muitas brigas entre a família; e a falta que o pai do Billy sentia da esposa era descontada nos filhos.  A família da senhora Wilkinson sofria com o marido desligado de tudo e alcooólatra, além de ser um pai muito ausente para a sua filha Debbie.

Entre o boxe e a dança
Autores: Gabriel, João Victor e Mayara

O filme deve ser assistido por ser um filme que conta uma história de um menino chamado Billy Elliot, que sofreu a perda da sua mãe. Billy mora com o seu pai, seu irmão e sua avó em uma casa modesta de uma cidade da Inglaterra. Seu pai se encontra numa greve trabalhista, mas trabalha duro para sustentar sua família.  O sonho do pai de Billy era que o filho lutasse boxe, mas Billy entra para o ballet. Mais tarde, o pai de Billy se convence de que o filho tinha o do da dança e ajuda o filho a realizar o sonho.

A magia do ballet
Autores: Letícia, Adriane e Denion

Billy foi muito guerreiro, mesmo sabendo que iria passar por todos esses preconceitos. Foi o jeito que ele achou de se sentir mais perto da sua mãe. A dança tirava a sua raiva, ele se sentia nas nuvens, se sentia leve e feliz, mais forte e confiante. Enfrentou tudo pela dança, inclusive o preconceito de seu pai e seu irmão. Enfim, Billy realizou seu sonho e se tornou um bailarino famoso.

                  Imagem do filme Billy Elliot



Produções da 8ª 02






Características de alguns personagens
Autores: Thaís Serpa, João Barbosa, Sabrina Santos e Indianara

Billy: era um menino que lutava box. Vendo vários meninos dançando ballet, interessou-se pela dança e começou a praticar. Até que descobriu em si um grande talento.

Sr. Elliot: era um homem muito agressivo que carregava em seu coração uma mágoa muito grande pela morte de sua esposa. E, apesar de ele achar que seu filho era gay por fazer ballet, no final ele deixou o orgulho de lado e ajudou seu filho a realizar o sonho de ser bailarino.

Sra. Wilkinson: Ela era uma professora de ballet e também mãe de Debbie, amiga de Billy. A sra. Wilkinson resolveu ajudar o Billy a ser bailarino, dando aulas particulares a ele e dando muito incentivo para ele não desistir. Ela também tinha muitos problemas em casa, e mesmo assim não desistiu de Billy.

A rejeição e depois a realização de um sonho
Autores: Giovana Hermes, Lyncon Rigobeli, Gabrielle Jimenez, Gabrieli Hermes

Nós precisamos primeiro analisar como essa pessoa foi criada, ou a cultura do pai de Billy porque cada pai tem a sua opinião. A maioria dos pais querem realizar o próprio sonho transferindo-o aos seus filhos. É tão simples os pais perguntarem aos seus filhos qual é o seu sonho.

Uma mensagem de persistência
Autores: Djonatan Arns, Larissa de Almeida e Rhuan Voltoline

Uma das lições que podemos tirar do filme é que Billy Elliot quis mostrar que o preconceito que ele teve por parte de seu pai e seu irmão poderia ser vencido. Nenhum problema foi motivo para ele desistir. O filme pode ser útil para todos os públicos, especialmente para os meninos que sonham em ser bailarinos, mas têm medo dos preconceitos que podem enfrentar.

Um significado para a vida
Autores: Cristina Yonezu, Thaís Ziegler, Janaína da Silva e André dos Santos

Billy se senti livre como o fogo e a eletricidade. Com a dança, podia ser ele mesmo esquecendo dos conflitos com sua família. Era como um “instinto”. A música fazia-o flutuar e sentir a presença de sua mãe e nada poderia fazê-lo parar.

Preconceito: algo que machuca
Autores: Júlio Capistrano, Amanda Peres e Suelen de Souza

O filme relata uma situação na vida de muitas pessoas: os preconceitos que machucam. O filme tenta nos mostrar superação e a luta contra o preconceito. É interessante esse filme porque ele deixa a quem o assiste curioso para saber se Billy conseguirá realizar seu sonho: ser bailarino.

Talento reconhecido pelo pai
Autores: Jéssica Brusque, Amanda Sabino, Wanderson Bouvakiades

Billy tomou a decisão certa, mas não a mais fácil. A dança era tudo para ele e também trazia lembranças da mãe que acabara de morrer, porém sofreu muito para conquistar seu sonho. O preconceito que sofria por parte do irmão fazia com que Billy pensasse em desistir de seus objetivos, mas com o tempo seu pai reconheceu seu talento e o ajudou a conquistar seu sonho. Ele conquistou a admiração da sua família.  

Reconhecendo o talento do filho
Autores: Camila Bittencourt, Sarah Caroline da Rosa, Mirelle Sabrina Tavares

No início, o pai de Billy não era totalmente a favor de Billy dançar ballet, mas quando Billy o enfrentou e dançou para ele, ficou maravilhado com o talento de seu filho, lutando para que esse talento fosse avistado pelo mundo.

posted under |

7 comentários:

Alessandra Medeiros disse...

Li todos, mas achei todos otimos! Então gostaria de Parabenizar toda a sala, ambos as oitavas! Parabéns pelo bom trabalho! -Alessandra Naatz

Gabriela Antonio disse...

8º1 Sara Rosa, Luiz Santos, Allan de Oliveira e Adriel Porcina, parabéns pelo seu texto, em minha opnião foi um dos melhores textos que eu li das oitavas, no texto de vocês, colocaram que não importa o sexo da pessoa tem que respeitar parabéns à todos. Ass. Nelson Lucas

Gabriela Antonio disse...

8º1 Sara Rosa,Luiz Santos,Allan de Oliveira,Adriel Porcina: PARABÉNS a esses alunos pelo trabalho .. Está comentando para nao interferir nos sonhos dos outros,para tentarmos ganhar a confiança de nossos pais e que o filme mostra sobre o preconceito ... Muito bom :) Ass: Zanubia Choukeir

jonatas disse...

Parabéns a todos , fizeram um ótimo trabalho ! - Nathaaly Fábia

jonatas disse...

Meus parabéns pelo ótimo trabalho dos alunos da 8°2. Adorei os textos! -- Giovana Stinghen, Quézia.

Amanda Gabriela Dias disse...

Parabéns pelo trabalho de vocês 8°2. - Amanda Gabriela e Amanda França.

Adriane Rocha de Leão disse...

Gostei muito dos trabalhos da 8ª 2 li todos e achei muito incentivadores. Parabéns a todos. - Adriane.

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Followers


Recent Comments